Desafios e Oportunidades: A Adoção da Tecnologia Agtech na Agricultura Rural

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on maio 2, 2024, 8:13 am

Nos dias de hoje, os produtores rurais estão rodeados por tecnologia que vai desde o campo até à mesa. A influência da Apple no setor de tecnologia para consumo tem sido revolucionária. Com sua abordagem inovadora, a empresa moldou a forma como as pessoas interagem com os dispositivos tecnológicos, estabelecendo novos padrões para outros setores e transformando as expectativas dos compradores.

Quando um consumidor abre aquela caixa branca brilhante da Apple e retira o plástico protetor juntamente com os acessórios brancos, o objetivo é proporcionar uma experiência que estimule todos os sentidos do usuário. Mas a genialidade da Apple vai além da embalagem. A empresa priorizou interfaces fáceis de usar, com ícones e menus intuitivos para que os novos usuários se sintam confortáveis com as novas tecnologias. Ou seja, ela busca democratizar a tecnologia.

Além disso, a Apple também se preocupa com segurança e acesso aos dados, sustentabilidade e reciclagem, entre outras inovações que atendem às necessidades dos usuários em constante evolução. Os desenvolvedores de aplicativos sabem que precisam estar na Apple Store para ter sucesso, o que significa seguir rigorosos padrões de qualidade.

Hoje em dia, os produtores rurais estão sendo inundados com tecnologia baseada em aplicativos, cada uma oferecendo uma infinidade de benefícios. No entanto, quando essa tecnologia alcança o ambiente agrícola, ela precisa enfrentar desafios específicos.

As fazendas são sistemas complexos e imprevisíveis. Uma pequena mudança pode ter um grande impacto, por isso a abordagem tradicional do Vale do Silício de “fingir até conseguir” não funciona no campo agrícola. As soluções agtech precisam ser capazes de lidar com um ambiente adverso, incluindo poeira, sujeira, umidade, calor e frio, além de problemas como roedores que atacam as fiações elétricas.

No entanto, muitas vezes os produtores rurais enfrentam dificuldades com as interfaces das soluções oferecidas pelas agtechs. A experiência do usuário no “nível Apple” está além do alcance dessas empresas mais jovens que buscam resolver problemas complexos relacionados à agricultura. Isso resulta em uma subutilização das tecnologias disponíveis.

Por exemplo, nos Estados Unidos estima-se que 25% das vacas utilizem algum tipo de dispositivo ou sensor. No entanto, quando questionados sobre quais recursos estão usando, os produtores geralmente mencionam apenas a detecção de cio, deixando de mencionar todas as outras possibilidades.

O mesmo acontece com os tratores inteligentes. Embora existam há décadas e ofereçam centenas de recursos, geralmente são usados apenas para rastrear o tempo em que estão ligados ou desligados como forma de controlar a jornada dos funcionários.

Além disso, os fornecedores de sensores, câmeras inteligentes e dispositivos IoT enfrentam dificuldades para oferecer produtos resistentes à limpeza (como mangueiras de alta pressão e desinfetantes) e ambientes hostis (como poeira e umidade).

Outro desafio é a falta de conexão de banda larga em áreas rurais, o que dificulta a utilização de muitas ferramentas agtech. Além disso, a segurança dos dados é uma preocupação tanto no mundo tecnológico quanto nas explorações agrícolas.

As plataformas tecnológicas agrícolas fornecem uma enorme quantidade de dados, mas nem sempre são capazes de fornecer informações significativas. Muitas vezes, as fazendas precisam trabalhar muito para transformar esses dados brutos em insights acionáveis. Afinal, é mais importante ser alertado quando as vacas ficam sem ração em minutos ou horas?

Diante desses desafios, é crucial que os inovadores do setor agropecuário estejam preparados para garantir que suas tecnologias sejam fáceis de usar e resolvam problemas reais enfrentados pelos produtores rurais. Os agricultores estão abertos à adoção de tecnologias que melhorem suas operações e aumentem sua rentabilidade, mas precisam ter cert

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize