Eleições na Argentina: Inteligência Artificial e Deepfakes Revolucionam a Campanha

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 15, 2023, 12:43 am

A campanha eleitoral na Argentina está acontecendo de forma única e inovadora. Pela primeira vez na região, a inteligência artificial está sendo utilizada em grande escala, principalmente na produção de vídeos que viralizaram nas redes sociais, como Instagram, TikTok e YouTube.

De acordo com fontes da campanha do peronista Sergio Massa, ferramentas de IA são essenciais para a equipe de estrategistas que assessoram o candidato. Essa equipe é formada por brasileiros, americanos e espanhóis.

Por outro lado, fontes da campanha do candidato da direita radical, Javier Milei, negaram o uso da IA, mas admitiram que sistemas populares atualmente estão sendo usados por apoiadores do líder do partido A Liberdade Avança.

Recentemente, a campanha de Massa lançou um vídeo sobre um episódio traumático da história argentina: o afundamento do cruzador ARA Belgrano durante a Guerra das Malvinas. O vídeo utiliza personagens de animação para retratar soldados argentinos na embarcação e mostra a então primeira-ministra britânica Margaret Thatcher dando a ordem de ataque. O objetivo é questionar a liderança de Milei ao afirmar que “um país não pode ser liderado por quem admira seus inimigos”.

Nessa disputa eleitoral argentina também surgiram polêmicas envolvendo deepfakes. Um vídeo que circulou nas redes mostrava o candidato peronista cheirando cocaína. A campanha de Massa acusou a equipe adversária de criar esse tipo controverso de conteúdo manipulado.

A utilização cada vez mais realista das deepfakes tem levantado discussões sobre a confiabilidade das informações na era da inteligência artificial. De acordo com especialistas, essas manipulações de áudio e vídeo podem afetar negativamente a credibilidade tanto de instituições públicas quanto privadas.

Agustín Huerta, vice-presidente senior de Inovação Digital da Globant, empresa multinacional, concorda que é necessário estabelecer regulamentações para o uso da IA. Ele destaca a importância de evitar campanhas agressivas que visem destruir o adversário em vez de apresentar propostas concretas.

Enquanto países como China, Estados Unidos, Califórnia e Texas já estão implementando leis relacionadas às deepfakes, a Argentina ainda carece de regulações específicas para o uso dessa tecnologia. No Brasil, um projeto de lei foi apresentado pelo deputado federal Rafael Brito (MDB/AL) com o objetivo de criminalizar a divulgação de vídeos e conteúdo audiovisual deepfake durante o período eleitoral.

A utilização intensiva da inteligência artificial nessa campanha argentina demonstra como as ferramentas estão se popularizando no campo político. É importante pensar em formas responsáveis e éticas de incorporar essa tecnologia nas estratégias eleitorais, garantindo transparência e evitando impactos negativos na confiança das pessoas.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize