Empreendedorismo e resiliência: a celebração do Dia da Favela

Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 2, 2023, 5:45 pm

No dia 4 de novembro, comemora-se o Dia da Favela. Essa data foi estabelecida em 1900 pela Central Única das Favelas (CUFA) após um delegado mencionar negativamente os moradores do Morro da Providência em um documento público, utilizando pela primeira vez a palavra “favela”. Desde então, os moradores decidiram celebrar essa data como uma forma de reconhecimento ao local onde vivem.

O Dia da Favela destaca a capacidade e a resiliência dos mais de 18 milhões de brasileiros que habitam esses territórios. Como afirmou Celso Athayde, CEO da Favela Holding e fundador da CUFA: “É preciso inovar, empreender, criar soluções e celebrar a vida”.

Um estudo realizado pelo Instituto Locomotiva mostrou que as favelas brasileiras possuem 423 comunidades e abrigam cerca de 17,9 milhões de pessoas. Se todas as favelas fossem consideradas um estado, elas teriam a sexta maior massa de renda no Brasil, movimentando R$ 202 bilhões anualmente. Esses números refletem o alto consumo presente nessas regiões e estimulam os moradores a empreender.

De acordo com o Data Favela, 35% dos entrevistados têm o desejo de abrir seu próprio negócio. Dentre os tipos de empreendimentos mais comuns nas favelas estão restaurantes, lanchonetes, cuidados com beleza/saúde/estética e comércio/manutenção de roupas.

Não é surpresa que muitos moradores optem por empreender. Isso se deve ao fato de que, para eles, empreender significa não ter que se submeter a chefes e ter a possibilidade de realizar seus sonhos. Renato Meirelles, presidente do Data Favela, ressalta que os moradores das favelas buscam mudar essa realidade e enxergam o empreendedorismo como uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional.

Atualmente, 50% dos moradores de favela são empreendedores, totalizando 5,2 milhões de pessoas. No entanto, apenas 37% desses empreendedores possuem CNPJ. A pesquisa também revelou as principais preocupações dos moradores das favelas: segurança, melhores condições de habitação/moradia, infraestrutura, saúde, lazer e educação.

Para celebrar o Dia da Favela e promover o empreendedorismo nessas regiões, será realizado nos dias 3 e 4 de novembro o “Slum Summit – evento nacional de imersão em empreendedorismo de impacto social”. O evento contará com shows, debates sobre moda e logística nas favelas, além de abordar questões relacionadas ao empreendedorismo nos territórios periféricos.

A Semana da Favela também será promovida entre os dias 4 e 10 de novembro pela CUFA. Neste ano, o sambista Zeca Pagodinho foi escolhido como homenageado por ser uma referência na valorização e elevação da autoestima dessa população. As ações serão realizadas em todas as favelas atendidas pela CUFA em todo o Brasil.

Esses eventos têm como objetivo mostrar a importância da favela na sociedade, ressignificando o conceito e proporcionando reflexões sobre a potência e resiliência dos moradores. É um momento de celebração, aprendizado e luta por melhorias nas condições de vida das favelas.

É fundamental reconhecer que o Dia da Favela é uma data importante para destacar a realidade vivida por milhões de brasileiros e valorizar suas contribuições para a sociedade. A partir do empreendedorismo e do fortalecimento das comunidades, é possível promover mudanças positivas e alcançar um futuro mais inclusivo e igualitário.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize