Grupo consultivo multilateral é formado para discutir governança da inteligência artificial, visando maximizar benefícios e diminuir riscos

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on outubro 27, 2023, 12:43 am

Preocupado com o avanço acelerado da inteligência artificial, o secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou nesta quinta-feira a formação de um grupo consultivo multilateral. O objetivo desse grupo é apresentar propostas para a governança das novas tecnologias de IA, visando maximizar seus benefícios e diminuir os riscos associados.

Segundo Guterres, o potencial transformador da IA para o bem é difícil de imaginar, principalmente para as economias em desenvolvimento. Essas economias podem se beneficiar ao levar serviços diretamente às pessoas que mais precisam. No entanto, também existem riscos potenciais nessa área. Entre eles estão: desinformação, estabelecimento de preconceitos e discriminação, vigilância, invasão de privacidade e fraudes. Além disso, a IA pode minar a confiança nas instituições, enfraquecer a coesão social e ameaçar o próprio sistema democrático.

Um dos riscos destacados por Guterres é que a IA, que atualmente está concentrada em poucos países, possa agravar as desigualdades mundiais e aumentar as lacunas digitais. Ele relata ter tido uma experiência surrealista ao ver-se falando chinês perfeitamente, mesmo sem saber uma única palavra desse idioma. Esse exemplo reforça as incríveis possibilidades e também os perigos potenciais associados à IA.

Guterres ressalta que tudo dependerá do uso responsável das tecnologias de IA e da sua acessibilidade para todos. Em ocasiões anteriores, ele já havia pedido aos países-membros da ONU a criação de barreiras de segurança para controlar essas novas tecnologias, assim como ocorre em setores como a energia nuclear.

O grupo consultivo será composto por especialistas de diversas áreas, como administração pública, setor privado, comunidade tecnológica, sociedade civil e mundo acadêmico. Eles terão a missão de estudar como vincular as diversas iniciativas de controle da IA que já estão em andamento. O objetivo é formular recomendações para a governança internacional da IA e promover uma compreensão compartilhada dos riscos, desafios e oportunidades dessa tecnologia. Tais recomendações serão fundamentais para os trabalhos da Cúpula do Futuro, marcada para setembro de 2024, e para as negociações sobre um Pacto Mundial Digital.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize