Inteligência Artificial Geral: Definições e Limites

Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 22, 2023, 8:43 am

A inteligência artificial geral (IA) é um termo que está sendo debatido entre os pesquisadores como a próxima fase da IA. No entanto, ainda não há consenso sobre o que exatamente essa tecnologia representa. Seria a IA capaz de aplicar conhecimentos em uma ampla gama de tarefas ou se igualar à inteligência humana?

De forma geral, a IA geral é vista como um sistema capaz de compreender os conhecimentos com os quais foi treinada e aplicá-los em diversas tarefas. Segundo a Wikipedia, ela seria “um tipo hipotético de agente inteligente que poderia aprender a realizar qualquer tarefa intelectual que seres humanos ou animais possam realizar”. Já a definição da OpenAI vai um pouco além, afirmando que a IA geral é altamente autônoma e pode até superar os humanos na maioria das tarefas. Por sua vez, o especialista Gary Marcus define a IA geral como qualquer inteligência flexível e geral, comparável à inteligência humana.

No entanto, ainda não há uma resposta definitiva para essa questão. Pesquisadores da DeepMind publicaram um artigo propondo suas próprias definições sobre as capacidades e comportamentos dos modelos de IA geral. O objetivo desse debate é estabelecer parâmetros comuns para a comunidade tecnológica, já que alcançar uma inteligência humana plena ainda é algo vago.

Segundo esses pesquisadores, a IA geral não necessariamente “pensa” ou “entende”, mas tem a capacidade de aprender tarefas por conta própria, buscando assistência humana quando necessário. Além disso, eles definem implantações nos aspectos legais, sociais, éticos e de segurança, em vez de focar no que o programa pode ou não fazer.

Para definir os limites da IA geral, os pesquisadores propuseram alguns níveis. O primeiro nível é o “Nível 0, Sem AI”, e o último é o “Nível 5, Sobre-humano”. Entre esses dois extremos estão os níveis de “Emergente”, “Competente”, “Especialista” e “Virtuoso”. Alguns exemplos de sistemas atuais que conhecemos se enquadram nessas classificações. Por exemplo, o Bard do Google e o Llama da Meta estão no nível 1, IA Emergente. A Siri, Alexa e Google Assistant estão no nível 2, Competente. E o Grammarly fica no nível 3, Expert AI.

Já as IA que estão no nível 5, Super-humano seriam aquelas capazes de realizar tarefas como prever a estrutura 3D de proteínas ou jogar xadrez em um nível avançado.

O objetivo desse debate é fortalecer as definições da IA com base em sua aplicabilidade prática e também considerando aspectos jurídicos, éticos e de segurança. Dessa forma, será possível estabelecer critérios claros sobre até onde essa tecnologia pode ir.

Em suma, a inteligência artificial geral ainda é um conceito em aberto que requer mais pesquisas e discussões entre os especialistas da área. À medida que avançamos nesse campo da tecnologia, é importante compreender melhor as capacidades e limitações dessa nova era da IA.

Leia mais:

– Inteligência Artificial Geral chegará em 10 anos, aposta fundador do SoftBank
– Audible está caro? Veja 5 apps alternativos e baratos de audiobooks
– Inteligência artificial: conheça os pontos negativos e perigos da IA

Imagem: Willyam Bradberry/Shutterstock

Fonte: TechXplore

Este artigo foi originalmente publicado no portal Olhar Digital.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize