Marcação a Fogo: São Paulo apresenta alternativa para o bem-estar animal no setor agropecuário

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on maio 14, 2024, 11:14 pm

Hoje vamos falar sobre uma inovação no setor agropecuário do Estado de São Paulo. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, apresentou uma nova marca para o agro paulista. O objetivo é reduzir ou mesmo eliminar a prática da marca a fogo nos animais.

A assinatura das resoluções pelo secretário de Agricultura, Guilherme Piai, cria o Plano Estadual de Bem-Estar Animal e apresenta um novo modelo de identificação da vacina contra brucelose. Essas medidas visam promover boas práticas no manejo animal, valorizando a pecuária paulista e abrindo novos mercados internacionais.

A marcação a fogo é uma prática comum na identificação dos animais, mas pode gerar desconforto e estresse nos mesmos. Por isso, o novo modelo proposto busca oferecer uma alternativa não obrigatória à marcação utilizada nas bezerras. Dessa forma, os pecuaristas terão a liberdade de optar pelo uso desse novo método que contribui para o bem-estar dos animais.

O Plano Estadual de Bem-Estar Animal também recomenda procedimentos básicos para eventos do setor e atualiza diretrizes do Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal. É importante ressaltar que São Paulo é o primeiro estado brasileiro a dar essa opção aos pecuaristas.

Além disso, a iniciativa busca melhorar as condições de trabalho dos profissionais envolvidos na vacinação, como os médicos veterinários. Com a implementação desse novo modelo de identificação, o manejo será mais adequado, gerando menos estresse para os animais e facilitando o trabalho desses profissionais.

A mudança também traz benefícios para a imagem do setor pecuário paulista e seus produtos. A preocupação com o bem-estar animal é uma demanda cada vez mais presente nos mercados internacionais, que estão se tornando mais restritivos nesse quesito.

No evento de apresentação das resoluções, foram homenageadas personalidades que defendem o bem-estar animal. Carmen Perez, pecuarista presente no evento, destacou os benefícios sustentáveis e produtivos dessa inovação. Ela afirmou que já existem pesquisas ao redor do mundo mostrando os prejuízos da marcação a fogo nos animais e parabenizou todos envolvidos no projeto.

O professor Mateus Paranhos, especialista em Bem-Estar Animal da Universidade Estadual Paulista (Unesp), também foi homenageado no evento. Ele ressaltou a importância dessa mudança de paradigma na marcação a fogo e afirmou que a cadeia produtiva não pode ficar vulnerável a esse tipo de prática.

Essa alternativa à marcação a fogo representa um avanço importante para o setor agropecuário em São Paulo. Além de garantir o bem-estar dos animais, contribui para valorizar a pecuária local e abrir novas oportunidades no mercado internacional. São iniciativas como essa que fazem com que São Paulo saia na frente quando se trata de inovação e boas práticas na agricultura.

E você, o que achou dessa nova marca? Deixe sua opinião nos comentários e continue acompanhando nossos conteúdos sobre IA, Marketing, SEO, Inteligência Artificial e tecnologia.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize