O desafio de regular a inteligência artificial: equilibrar a inovação e o impacto positivo

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 14, 2023, 1:43 pm

A inteligência artificial está cada vez mais presente em nossa sociedade, e com isso surgem questionamentos sobre como regular o seu uso. Essa discussão foi o ponto central do Web Summit 2023, evento realizado em Lisboa nesta semana.

Andrew McAfee, cientista pesquisador do MIT e cofundador da Iniciativa para Economia Digital, expressou sua opinião sobre o assunto. Para ele, é importante facilitar a correção de erros ao invés de impedir que eles ocorram. Ele se inspira na filosofia adotada por Jimmy Wales, fundador da Wikipedia.

Com o avanço da inteligência artificial, crescem também as preocupações em relação aos riscos associados a ela, como desinformação, perda de empregos e preconceitos. Essas preocupações impulsionam o movimento pela regulamentação da IA.

No entanto, McAfee argumenta que inovação e regulação não são caminhos compatíveis. Ele utiliza dois exemplos para embasar sua posição. O primeiro deles é sobre a questão do “permissionless innovation”, ou seja, inovação sem permissão. McAfee ressalta que isso não significa ausência total de regulamentação ou supervisão. Ele cita o caso dos smartphones sendo utilizados para tirar fotos inadequadas no metrô como exemplo. Nesse caso específico, era necessário legislar para proteger a liberdade das mulheres e sua privacidade.

O outro ponto levantado por McAfee é a importância do acesso livre às ferramentas de IA. Ele enfatiza que as ferramentas são como um “grande kit” que pode influenciar diversas áreas e setores. Ele menciona as pesquisas em biotecnologia como exemplo, onde é essencial ter acesso às ferramentas corretas para que a inovação aconteça.

Apesar dos riscos envolvidos e do amplo acesso a tecnologias poderosas, McAfee ressalta que ambos os lados concordam que é preciso encontrar um caminho inteligente para avançar. A diferença está na abordagem: enquanto alguns defendem a regulação, McAfee acredita que o melhor caminho é permitir a inovação sem permissão.

Ele finaliza comparando essa escolha com o encontro histórico entre Neville Chamberlain e Adolf Hitler em 1938. Chamberlain achava que havia alcançado um acordo para evitar a guerra, mas Winston Churchill afirmou que ele escolheu a desonra ao invés de evitar o conflito.

Portanto, segundo McAfee, enfrentamos uma escolha entre microgerenciamento e turbulência. E para lidar com isso da melhor forma possível, é necessário permitir a inovação sem permissão.

Em resumo, regular a inteligência artificial é essencial para mitigar os riscos associados ao seu uso, mas também devemos garantir que haja espaço para a inovação e o progresso. Encontrar o equilíbrio entre regulamentação e “permissionless innovation” é um desafio importante para garantir benefícios e impactos positivos da IA em nossa sociedade.

Fonte: Excesso de regulação poderá impedir inovação e impacto positivo da inteligência artificial, diz pesquisador do MIT (CNN Brasil)

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize