“O Dia da Favela: Reconhecendo a Potência e Resiliência dos Moradores”

Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 2, 2023, 1:45 pm

No dia 4 de novembro, é comemorado o Dia da Favela, uma data que foi reconhecida pela CUFA (Central Única das Favelas) em 1900. Nesse documento, o delegado Dr. Enéas Galvão mencionou pela primeira vez a palavra “favela” em um contexto negativo ao se referir ao Morro da Providência como um local que precisava ser “limpo”. No entanto, os moradores decidiram transformar essa data em uma forma de reconhecimento do lugar onde vivem.

O Dia da Favela serve para destacar a capacidade e a resiliência dos mais de 18 milhões de brasileiros que vivem nessas comunidades. Segundo Celso Athayde, CEO da Favela Holding e fundador da CUFA: “É preciso inovar, empreender, criar soluções e celebrar a vida”.

As favelas no Brasil abrigam 423 comunidades e têm cerca de 17,9 milhões de habitantes. Se todas essas favelas fossem consideradas um estado, teriam a sexta maior renda do país. De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Locomotiva em março deste ano, os moradores movimentam R$ 202 bilhões anualmente por meio de seus próprios rendimentos. Esses números revelam o alto consumo nas favelas e incentivam os moradores a terem um desejo em comum: o empreendedorismo.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Data Favela, 35% dos entrevistados desejam ter um negócio próprio. Eles enxergam no empreendedorismo uma oportunidade de fugir da dependência econômica e realizar seus sonhos. Para muitos, ter um emprego com carteira assinada não é suficiente para alcançar a liberdade financeira e profissional almejada.

Atualmente, cerca de 50% dos moradores das favelas são empreendedores, totalizando 5,2 milhões de pessoas. No entanto, apenas 37% possuem CNPJ. Os tipos de negócios mais comuns nas favelas incluem restaurantes, lanchonetes, cuidados com beleza e saúde, comércio e manutenção de roupas, entre outros.

Uma característica interessante é que a maioria dos moradores que desejam abrir um negócio pretende fazê-lo dentro da própria favela. Isso ocorre porque eles querem estar conectados com as pessoas ao seu redor e transformar amigos e vizinhos em clientes. Essa estratégia permite um crescimento rápido do negócio e contribui para o aumento do PIB da comunidade.

Embora o empreendedorismo tenha trazido oportunidades para os moradores das favelas, ainda existem desafios a serem enfrentados. Segundo a pesquisa mencionada anteriormente, segurança e moradia são as maiores preocupações dos moradores. Além disso, eles também gostariam de ver melhorias na infraestrutura local, saúde, opções de lazer e educação.

Em celebração ao Dia da Favela, será realizado o “Slum Summit”, um evento nacional que aborda temas como empreendedorismo social, diversidade e inovação nas favelas. O evento acontecerá nos dias 03 e 04 de novembro em Paraisópolis, São Paulo. Além de shows, serão discutidos assuntos como moda, logística e empreendedorismo em territórios periféricos. O evento é aberto ao público e basta se inscrever no Pavilhão Social do G10 Favelas para participar.

Outra iniciativa importante é a Semana da Favela, promovida pela CUFA em parceria com outras instituições. Neste ano, o sambista Zeca Pagodinho será homenageado por sua trajetória e contribuição para elevar a autoestima dessas comunidades. O evento será realizado em todas as favelas atendidas pela CUFA nos diferentes estados brasileiros.

É um momento de reflexão sobre o significado das favelas e de valorização da potência e resiliência dos seus moradores. Essas comunidades merecem investimentos para que possam se desenvolver plenamente e conquistar novas vitórias.

No Rio de Janeiro, o Dia da Favela é oficialmente reconhecido desde

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize