O fim da marca a fogo: uma nova medida para a identificação de bovinos vacinados.

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on maio 11, 2024, 9:15 pm

Finalmente, uma ótima notícia para os pecuaristas de São Paulo! Foi lançada nesta quarta-feira (28) uma resolução do governo que oferece uma alternativa à marca-fogo na face dos bovinos vacinados contra a brucelose. Agora, será possível utilizar um identificador específico com cores diferentes para cada tipo de vacina e diagnóstico positivo para a doença.

Essa medida traz benefícios tanto para os animais quanto para as pessoas envolvidas no manejo do gado. A marca-fogo é um processo doloroso e arriscado, pois a região da face possui muitas terminações nervosas e fica próxima aos olhos dos animais. Além disso, durante as fiscalizações, há dificuldade na leitura das marcas.

Com o avanço da tecnologia, surgiram outras formas menos invasivas e mais efetivas de identificação dos animais, como o uso de brincos, botons eletrônicos e tatuagens. Essas alternativas são mais seguras e não apresentam riscos de acidentes ou exposição aos vapores da queima.

Essa iniciativa é extremamente importante não apenas para o bem-estar animal, mas também para conscientizar as pessoas sobre a importância de práticas sustentáveis no agronegócio. Esperamos que outros estados sigam esse exemplo e adotem medidas semelhantes em relação à marcação a fogo na face dos bovinos.

É gratificante ver o setor agropecuário se preocupando cada vez mais com questões relacionadas à sustentabilidade, segurança do trabalho e facilitação do manejo. Iniciativas como essa fortalecem a imagem do agronegócio e demonstram seu compromisso com o bem-estar dos animais.

Carmen Perez, pecuarista e defensora do bem-estar animal, ressalta a importância dessa ação em prol dos animais. Ela trabalha há mais de uma década na fazenda Orvalho das Flores, em parceria com o Grupo Etco da Unesp de Jaboticabal e universidades internacionais. Carmen é uma entusiasta das práticas sustentáveis na produção animal e foi presidente do Núcleo Feminino do Agronegócio (NFA) em 2017/2018.

É válido ressaltar que as opiniões expressas pelos autores são de sua responsabilidade pessoal e não representam necessariamente a opinião da Forbes Brasil e seus editores.

Essa mudança traz alívio para os bovinos e abre espaço para reflexão sobre práticas mais humanas no manejo dos animais. A marca-fogo deixará gradualmente de ser obrigatória em São Paulo, um marco positivo para toda a indústria pecuária.

Fonte:
Forbes Brasil – Marca a fogo nos bois deixa de ser obrigatória em São Paulo

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize