Plano Estadual de Bem-Estar Animal e novo modelo de identificação da vacinação contra a brucelose são lançados em São Paulo

Picture of Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on maio 11, 2024, 3:16 pm

Nesta quarta-feira, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) do Estado de São Paulo apresentou uma nova iniciativa para o setor agropecuário. O secretário de Agricultura, Guilherme Piai, assinou resoluções que lançam o Plano Estadual de Bem-Estar Animal e introduzem um novo modelo de identificação da vacinação contra a brucelose, com o objetivo de reduzir ou eliminar a marcação a fogo em animais.

Essa nova medida tem como propósito promover o bem-estar dos animais e também aumentar a segurança jurídica, adotando boas práticas que valorizam a pecuária paulista. Além disso, busca abrir novos mercados internacionais que cada vez mais exigem cuidados restritivos com os animais.

A vacinação contra a brucelose é obrigatória e deve ser realizada nas fêmeas entre 3 e 8 meses de idade apenas uma vez. A Secretaria apresentou um novo método de identificação dessa vacinação para incentivar os pecuaristas a abandonarem a prática da marcação a fogo. No entanto, é importante mencionar que essa alternativa não é obrigatória para as bezerras.

Essa medida visa estimular a produtividade e qualidade no manejo dos animais, além de garantir maior segurança tanto para os trabalhadores rurais quanto para os médicos veterinários responsáveis pela vacinação. O bem-estar animal contribui para criar uma imagem positiva do setor pecuário paulista e seus produtos.

As resoluções assinadas pelo secretário Guilherme Piai estabelecem o Plano Estadual de Bem-Estar Animal, recomendam procedimentos básicos de bem-estar para eventos agropecuários e atualizam as diretrizes do Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal no Estado de São Paulo. Com essa iniciativa, São Paulo se torna o primeiro estado brasileiro a oferecer a alternativa de não marcar o gado. Para aqueles que optarem pelo novo modelo, o manejo será mais adequado, gerando menos estresse e facilitando o trabalho dos veterinários.

A pecuarista Carmen Perez, homenageada durante o evento por sua defesa do bem-estar animal, concorda com os benefícios sustentáveis e produtivos dessa inovação. Ela ressalta a importância da credibilidade do Estado de São Paulo e parabeniza todos os envolvidos nesse projeto transformador.

Outra personalidade reconhecida foi Mateus Paranhos, professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Jaboticabal e especialista em Bem-Estar Animal. Ele enfatizou que esse evento representa uma mudança significativa no paradigma da marcação a fogo. Segundo ele, é fundamental adotar métodos mais avançados para preservar a cadeia produtiva sem deixá-la vulnerável.

Essa nova medida adota um posicionamento pioneiro no país e pode servir como exemplo para outros estados brasileiros seguirem o mesmo caminho. Afinal, São Paulo está deixando um legado importante ao promover uma forma mais ética e eficiente de manejar o gado.

(Artigo otimizado para SEO: Inteligencia Artificial, Marketing, SEO, Tecnologia, Redes sociais)

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize