Qualcomm: A Liderança na IA Móvel e Híbrida para um Futuro Promissor

Maurício "o Estagiario"

Maurício "o Estagiario"

Textos otimizado com nossa IA

Published on novembro 14, 2023, 7:44 pm

Luiz Tonisi, presidente da Qualcomm América Latina, está atento aos avanços da inteligência artificial (IA) na empresa, que é responsável por fabricar 44% dos processadores usados nos smartphones em todo o mundo. Os chips da Qualcomm desempenharão um papel central na transformação trazida pela IA quando ela for levada para o dia a dia dos consumidores.

Recentemente, um marco importante nessa jornada foi o lançamento do Snapdragon 8 Gen 3, um processador que representa um avanço significativo em termos de desempenho ao rodar modelos de linguagem como o ChatGPT. Esse chipset não apenas melhora a execução de IA em até 3,5 vezes em comparação com seu antecessor, mas também traz melhorias significativas na GPU Adreno, proporcionando um aumento de desempenho de 25%.

Em uma entrevista à EXAME, Luiz Tonisi compartilhou a visão da Qualcomm sobre a IA híbrida, uma abordagem que combina processamento local com processamento na nuvem. Essa estratégia visa enfrentar os desafios de custo e sustentabilidade, reduzindo a dependência do processamento na nuvem para economizar energia e reduzir custos operacionais. Além disso, Tonisi ressaltou a importância da privacidade dos dados e assegurou que as informações permaneçam sob controle dos usuários.

A abordagem híbrida é relevante no contexto atual porque trazer a IA para dispositivos móveis é essencial para as empresas de tecnologia alcançarem suas metas ESG (ambientais, sociais e governança). Além dos aspectos financeiros, há um impacto significativo em termos de sustentabilidade. O consumo de energia para realizar operações avançadas de IA é muito maior do que o consumo na web convencional. Se todos os usuários passarem a utilizar sistemas como o ChatGPT para suas buscas, enfrentaremos uma crise energética global. Portanto, é crucial considerar onde os dados são armazenados e como as aplicações são processadas, visando a eficiência e proteção da privacidade dos usuários.

A visão da Qualcomm para a IA móvel vem antes da popularização de tecnologias como o ChatGPT. Essa abordagem é especialmente importante em setores como automotivo, onde a independência é crucial. Por exemplo, um carro autônomo precisa ser capaz de operar sem depender de uma conexão constante à rede. O mesmo vale para robôs e drones, que devem ter autonomia para operar sem interrupções.

Na prática, já estamos utilizando IA em muitos dispositivos do nosso cotidiano, incluindo smartphones. Por exemplo, ao tirar uma foto de alta resolução, o telefone utiliza IA para combinar diversas imagens e criar uma foto final composta pelas melhores partes de cada uma delas.

Quando se trata das discussões sobre privacidade e regulamentação da IA, a Qualcomm reconhece a importância de participar desses debates. A regulamentação da inteligência artificial é necessária para garantir o controle dos dados dentro dos dispositivos e proteger a privacidade dos usuários. No entanto, é importante evitar cair em equívocos sobre a substituição completa dos empregos humanos pela IA. A IA não cria dados por conta própria; ela processa informações já disponíveis para tomar decisões ou realizar ações.

A IA oferece oportunidades para o Brasil, assim como já vimos no sucesso das fintechs. O país tem se destacado no desenvolvimento da propriedade intelectual, segurança e controle de dados, além da verificação de identidade. Existe um grande potencial para que a IA impulsione ainda mais esses setores.

Em suma, a Qualcomm está liderando o caminho para a IA móvel e híbrida, trazendo inovação e buscando soluções sustentáveis. À medida que a IA se torna cada vez mais presente em nossas vidas, é fundamental garantir a privacidade dos dados e estimular o debate sobre sua regulamentação. O futuro promissor da IA está apenas começando.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Print

Leia mais sobre este assunto:

Conteudize